segunda-feira, 9 de novembro de 2009

martírio moderno (e todos os outros sacrifícios)

não serei mártir
de palavras vivas...
sem rendição expressa!
ou entre-linhas vive-se,
ou deixa-se corroer por este envoltório profano,
tempo plastificado,
que nos sufoca
e suprime a mente liberta
e o desejo de ultrapassarmos
a nós mesmos...

(ouça: The Gathering / Saturnine)

7 comentários:

  1. Daisy ta lindoo seus textos amo tudo isso aki!!! me falta palavras

    bjo_na__alma linda!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada! Sempre bom ver você por aqui, garoto!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Gosto dos seus textos Daisy é forte você busca poesia na alma nos cantos mais difíceis de chegar e expressa uma ânsia de liberdade que me faz querer sai e dominar o mundo

    kkk dominar o mundo é os exageros de arianos mas nem esquete com isso kkkkk

    bjo_na__alma!

    ResponderExcluir
  5. isso posso confirmar: arranco o que posso de mim mesma, da minha alma... não há como fazer poesia sem ser desta forma... para a poesia viver, vc precisa dar um pouco de si... - nem sempre isso é fácil...

    mesmo que a liberdade não habite "o fim do arco-íris", o que vale mesmo é a busca por ela...

    Obrigada pelo carinho!

    Daisy

    ResponderExcluir
  6. Linda poesia, Daisy!

    Visceral...

    Beijos

    ResponderExcluir